O deserto povoado

As vezes a solidão é algo necessário para que busquemos o próximo.

Faz dias que comecei a caminhar aqui no deserto do Chile. O vento está muito forte e frio. Já vi miragens que pareciam grupos de pessoas caminhando e, quanto mais me aproximava, constatava que era apenas mais algum tipo de barranco ou duna no caminho.

As vezes me esqueço que estou só e a natureza me lembra que sou só eu e ela. As vezes a solidão me lembra da natureza e de que a solidão não é a natureza humana.

Teve alguns momentos em que eu olhava em volta, pra trás, ficava assim por muito tempo … e aos poucos jurava que alguém me acompanhava ou seguia … era o caminho, o caminhante e o caminho andam juntos …

Agora está perto do anoitecer e está frio, mas não venta. Não há ninguém, nenhum lampejo de vida, só eu, então há vida, eu posso constatar, mas por outro lado constatar pra quem? Não há ninguém que possa constatar que constatei …

A noite chegou e estou tremendo de frio … está totalmente escuro e venta muito forte, estou quase adormecendo … momentos atrás quase fechei os olhos pra dormir, e pensei ter visto um vulto com formas femininas, acho que deve ser melhor dormir, amanhã será mais um dia …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s